sábado, 15 de setembro de 2012

As luzes noturnas se dispersam...





    As luzes noturnas se dispersam. Tão facilmente recolhem-se nos reflexos dos vidros. Espelhos confeccionados para espelhar os dias das cidades. Se cada um pudesse registrar os minutos, teríamos um filme infinito sobre a passagem de carros e pedestres. Se ao menos cada um pudesse contar sua história...Mãe? Pai? Estudante? Doutor? De que me importa?

       De que me importa o mundo neste momento, senão que ele é o único no qual posso respirar? Há algo de um laço tênue, dançando pelo frio, rodopiando pela incerteza, desgarrando-me de meu próprio humor. Que humor um tanto alcoolizado. Despido de convenção. Despido da necessidade da palavra. Deita-se n irregular receptáculo do "apenas ser". Irreal que a alma queira desgarrar-se do corpo, sorver o ar si mesma, empoeirar a angústia no grande vazio no qual os erros e angústias são jogadas. Abismo do meu medo. Temendo que o negro se encante por meu espírito.

      Inúmeras marcas que pulsam e revolvem nos pneus dos carros. O asfalto é marcado pela nudez humana. Nudez mundana. Essas dobras que rangem nessa existência morosa, embaraçam-se com um ar soturno. Límpidos passos sapatearam na esquina agora há pouco. É o som de um pouco de gozo, cortesia do corpo feito do barro mais consistente que Deus encontrou. Não sei se foi erro ou acerto. Só sei que foi Deus o autor.

      Sem sentido, as palavras tendem a se revoltar contra o destino. Os demônios adormecem e despertam no frágil coração apaixonado. As luzes noturnas...elas se dispersam, meu amor. Nossa luz no abismo da noite...ela se dispersou.
      

2 comentários:

  1. Querida,belo texto! Escrevestes lindamente.Parabéns! Um coração apaixonado é capaz de olhar a vida com nuances maravilhosos.
    Lindo Domingo.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, Eloah. De fato, um coração apaixonado tem um olhar bem curioso sobre a vida. Ótima semana pra você!

    ResponderExcluir