quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Amor



             Eu não consigo colocar em palavras aquilo que sou. Aquilo que me permite sentir o coração como algo vivo e o sorriso como algo autêntico. Eu não sei o que é isso: amar. Eu sei o que é isso: amor. Amor, eu sou. Amorosamente, me dôo. Não conjugo o verbo, que é para ele não mudar. Porque amor não muda. Ele é sempre, ardoroso, constante. É toda a essência que traz alguma esperança de alegria. Mas eu não sei falar.
            Talvez seja por isso que as estrelas caem do céu. Talvez seja por isso que o céu é tão vasto. Talvez seja por isso que não saibamos onde o oceano encontra o céu nem porque o mundo gira tanto. É tudo amor, esperando para que também naveguemos pelo céu. Esperando para que também sejamos tão vastos. Esperando para que encontremos os limites do horizonte e o ponto que faz o mundo girar. Amor não é ter. Amor é ser. 
            Eu sou amor. Só isso sei dizer. Eu sou amor. Meus olhos assim me fazer ser. Minhas lágrimas assim me fazem ser. Meus pensamentos assim me fazem ser. Não é absurdo. É, simplesmente, amor.

Um comentário:

  1. Bruna que belíssimo texto! falar de amor é falar de nos mesmo.É da nossa essência que flui o sentimento que de nós transcende. Somos os depositários do amor.
    Parabéns pela beleza do post.Amei!
    Dias lindos e felicidades sempre, para você querida.Bjs Eloah

    ResponderExcluir